Com o tema “Ruralidades na América Latina: convergências, disputas e alternativas no século XXI” a Alasru,  Associação Latino Americana de Sociologia Rural, realiza o seu X Congresso. O evento acontece em Montevidéu, no Uruguai,  de 25 a 30 de novembro paralelamente à comemoração do 50º aniversário da entidade. Durante esse meio século a ALASRU tem sido um fórum para estudos e discussões das transformações rurais na América Latina. Estudiosos e acadêmicos têm se encontrado ao longo desse período, com organizações e movimentos sociais para analisar e discutir alternativas contribuindo para  melhorar as condições de vida das populações rurais.

Mudanças no sistema alimentar global e a deterioração da soberania alimentar dos países da região ameaçam o acesso à alimentação adequada de nossos povos, enquanto as vidas de milhões de camponeses e agricultores familiares, trabalhadores  e comunidades indígenas vêem todos os dias reduzir suas chances de continuar a manter suas terras, seus modos de vida, suas culturas, suas identidades.

Em meio a esses processos, surgiram debates conceituais e novas abordagens que abrem perspectivas para entender e enfrentar os múltiplos desafios e oportunidades que o desenvolvimento rural enfrenta atualmente.

O congresso conta com vinte grupos de trabalho que reúnem os eixos principais do debate para  que sejam apresentadas contribuições e avanços em pesquisas, com abertura para todos os pontos de vista e com respeito à diversidade e a pluralidade teórica metodológica.

Com os resultados do X Congresso a Alasru pretende contribuir para o fortalecimento dos estudos rurais, seu espírito crítico, reflexão ativa e reafirmar o compromisso de milhares de intelectuais na construção coletiva de novas formas de abordar problemas das  áreas agrárias e rurais da América Latina.

Para o pesquisador Marcelo Moraes de Andrade, do Programa de Pós-Graduação Sociedade Natureza e Desenvolvimento, da Universidade do Oeste do Pará,  o evento proporcionou um debate acerca de temas relevantes para a América Latina. Andrade avalia que embora as questões sejam comuns “não há um diálogo entre os países” e estas poderiam ser tratadas de forma conjunta e articulada entre todos.

Marcelo Moraes de Andrade – Doutorando do Programa de Pós-Graduação Sociedade Natureza e Desenvolvimento, da Universidade do Oeste do Pará

Mariana  Ramos, doutoranda em Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, destaca que o evento tem trazido muitos conhecimentos sobre a realidade das sociedades rurais latino americanas. Ela considera que o aprofundamento dos pesquisadores acadêmicos sobre o conhecimento da região resulta em novas leituras dos seus próprios trabalhos e isso pode levá-los a um posicionamento mais maduro em relação ao continente com um entendimento geopolítico melhor. 

A  engenheira agrônoma e professora da Universidade do Oeste do Pará, Danielle Wagner,  participa pela primeira vez do congresso da Alasru e avalia que o evento trouxe um panorama dos temas que estão em voga na America Latina em relação à sociologia rural. Para Danielle o evento permite conhecer mais sobre as experiências dos países que se fazem presentes por meio de seus pesquisadores. A Professora afirma que o congresso também é um espaço que  além da reflexão permite trocas em relação a temas e metodologias de pesquisas entre estudiosos de diversas áreas do conhecimento além da sociologia.

Danielle Wagner – engenheira agrônoma e professora da Universidade do Oeste do Pará 
Jeidi Galeano- Doutoranda da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Nayma Schonardie – Instituto Federal – Campus Porto Alegre
Painel “As transformações das ruralidades latino americanas no século XXI”