Pesquisas apontam que a maioria das pessoas têm dificuldade para ler e entender as informações nutricionais presentes nas embalagens dos alimentos ultraprocessados.

“A gente precisa de um sistema mais simples – bem mais simples”, resume a jornalista Francine Lima, do canal Do Campo à Mesa. Francine apresenta um minidocumentário recém-publicado no YouTube que trata do tema da rotulagem nutricional. No vídeo, ela conversa com especialistas do Brasil e do exterior para entender como vem evoluindo a questão da inclusão de informações nutricionais relevantes na parte da frente da embalagem – a chamada rotulagem nutricional frontal.

Entre os entrevistados estão Marcela Reyes, do Chile, e Gastón Ares, do Uruguai. O Chile foi pioneiro no desenvolvimento e aplicação de um selo preto de advertência nos alimentos que contêm excesso de sódio, açúcar e gordura. O modelo foi reconhecido internacionalmente e serviu de modelo para diversos outros países, como o Uruguai. “Uma política pública que influenciou positivamente 50% da população, no meu ponto de vista, deu certo”, diz Marcela Reyes, da Universidad de Chile.

No minidocumentário, falam também Ana Paula Bortoletto, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), e Carla Spinillo, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), responsáveis por apresentar à Anvisa uma proposta de rotulagem inspirada no modelo chileno.

 

Assista ao minidocumentário completo publicado no canal Do Campo à Mesa.

 

Fonte: Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável