Agência de saúde da ONU lança publicação sobre iniciativas do Brasil para combater má nutrição.

Entre as iniciativas abordadas, estão o Programa Bolsa Família, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e a Política Nacional de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde. Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), responsável pela publicação, Brasil é exemplo na garantia do direito à alimentação adequada.

Alimentação escolar é uma das estratégias defendidas pela FAO para combater a fome na América Latina e Caribe. Foto: FAO/Ubirajara Machado

Alimentação escolar é uma das estratégias defendidas pela FAO e pela OPAS para combater a fome na América Latina e Caribe. Foto: FAO/Ubirajara Machado

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) lançou na sexta-feira (24) a publicação “Sistemas alimentares e nutrição: a experiência brasileira para enfrentar todas as formas de má-nutrição”. Fruto de parceria entre o organismo internacional e o governo brasileiro, o documento está disponível gratuitamente em meio online. Volume apresenta políticas, programas e ações bem-sucedidos implementados nos últimos anos no país.

Entre as iniciativas abordadas, estão o Programa Bolsa Família, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e a Política Nacional de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde. De acordo com a publicação da OPAS, a institucionalização da segurança alimentar e nutricional e a proteção do direito humano à alimentação adequada no Brasil são uma referência global, por conta de estratégias que reduziram de forma expressiva a fome, a desnutrição e a subalimentação nos últimos anos.

Na avaliação do representante da agência regional da ONU no país, Joaquín Molina, é fundamental divulgar estratégias de sucesso para fortalecer o combate a problemas nutricionais. “Enfrentamos ainda múltiplas formas de má nutrição. Deficiências de micronutrientes e desnutrição coexistem com sobrepeso e obesidade. Esses problemas, além de incidirem na saúde e na qualidade de vida das pessoas, impactam em uma carga elevadas de doenças, com consequências sociais e econômicas para as famílias e comunidades”, afirma.

O dirigente também ressaltou que a alimentação e a nutrição fazem parte de todos os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, em especial do ODS nº 2, que visa acabar com a fome, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável.

Fonte: ONUBR