A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e parceiros foram buscar no Sul do Brasil saborosas receitas com leguminosas que venceram o tempo e foram transmitidas de geração em geração, de boca em boca ou manuscritas e que aproveitam o que de melhor a terra produz. Tudo isso para elaborar a publicação de 100 páginas intitulada: “Leguminosas, Receitas Culinárias do Sul do Brasil”. O livro reúne 83 receitas com objetivo de preservar os saberes tradicionais, valorizar a gastronomia repassada de pai para filho e incentivar a conexão com a produção de alimentos saudáveis, sobretudo da agricultura familiar.

A parceria estratégica da FAO – Unidade de Coordenação de Projetos da Região Sul do Brasil com diversas organizações possibilitou reunir a gastronomia refinada e tradicional dos três estados do Sul do país e entidades envolvidas diretamente na pesquisa, na comercialização e na produção dos grãos comestíveis.

Fizeram parte desse projeto: a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes/PR (ABRASEL ), a Nutriplus Alimentos, a Itaipu Binacional, a Risotolândia Alimentos, o Instituto de Formação do Cooperativismo Solidário (Infocos) e a União de Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidaria do Estado do Paraná (Unicafes), a Emater/PR, a Emater/RS e Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Paraná.

O livro, nas versões impressa e digital, apresenta receitas elaboradas por estudantes, cozinheiros e cozinheiras tradicionais da zona rural, merendeiras de escolas públicas e ‘chefs’ reconhecidos da cozinha profissional do Sul do Brasil, entre eles: Gabriela Vilar Carvalho, Marcos Cruz de Souza, Maria Salete Meszynski, Márcio Souza Brasil, Délio Canabrava, Fernando Matsushita, Amanda Marfil, César Sperotto, Vaneska De Andrade Berçani, Eduardo Souza, Marcos Mendes Junior, Carina Biancardi, Rosane Radecki, Vania Krekniski e Otávio de Brito.

As duas ferramentas de comunicação promovem trocas de experiências culinárias, com informações relevantes da gastronomia regional. Na versão online, que pode ser acessada no endereço: www.leguminosas.com.br, é possível compartilhar informações e, sobretudo, adicionar novas receitas.

Segundo o Representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, “o grande desafio para a segurança alimentar nos próximos anos não é apenas fazer com que os alimentos cheguem a todos, mas sim que contribuam para uma alimentação nutritiva e saudável. A articulação da FAO com renomados chefes de cozinha, merendeiras e cozinheiras tradicionais da gastronomia dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul é bastante significativa porque junta esforços para a alcançar tais objetivos”, disse Bojanic.

As leguminosas são grãos comestíveis de plantações que incluem feijões, ervilhas, soja, grão de bico e lentilhas. É um grupo bastante diversificado que vem sendo ingerido pelos homens e cultivado por civilizações em todo o mundo por mais de 10 mil anos.

Elas representam uma vasta família de plantas, incluindo mais de 600 gêneros e mais de 19 mil espécies. Ao crescer, as leguminosas fixam o azoto no solo, o que reduz a necessidade de fertilizantes químicos. As leguminosas geralmente são cultivadas por pequenos agricultores, especialmente, mulheres, proporcionando a esses produtores rurais uma fonte adicional de alimento e renda.  Mais informações sobre leguminosas: www.fao.org.br

Fonte: FAO