Ana Primavesifoi a primeira pessoa em um meio científico majoritariamente masculino a defender que o solo tem vida.

“Ana Maria Baronesa Primavesi nasceu em 3 de outubro de 1920, no castelo Pichlhofen, distrito de St Geor gen ob Judenburg, no estado da Estíria, Áustria, como primeira filha do Barão Sigmund Conrad e sua esposa Clara. Depois de cursar o primário em seu distrito, em 1935, foi para o Sacré Coeur, em Graz, onde foi aluna no internato. Fez os últimos anos do ginásio em Dresden, onde concluiu seus estudos básicos. De lá foi mandada para o serviço Arbeitsdienst, no leste da Prússia, “um grande desestímulo imposto pelos nazistas a quem queria continuar os estudos”, e depois de nove meses entrou na Universidade Agrícola de Viena, que concluiu em 1942.”

O parágrafo anterior é a sinopse do livro ANA MARIA PRIMAVESI: HISTORIAS DE VIDA E AGROECOLOGIA.

A autora, Virgínia Mendonça Knabben,  fala um pouco sobre a obra na página Brasil de Fato.
Leia aqui o texto completo.