Gestores públicos e representantes da sociedade civil trocaram experiências e discutiram políticas para consolidar o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional

Compartilhar experiências de mobilização social e debater políticas públicas foram alguns dos objetivos da Oficina Regional do Sisan – Sul promovida dias 03 e 04 de agosto pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) em Porto Alegre (RS). No decorrer dos  dois dias, 150 gestores federais, municipais, estaduais e membros da sociedade civil tiveram a oportunidade de discutir temas relevantes para a consolidação do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

No encontro, o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Caio Rocha, falou sobre a importância de definir estratégias de gestão para o fortalecimento do Sisan. “Queremos desse evento propostas de organização da agenda de segurança alimentar e sugestões de inovação de programas. Também estamos trabalhando para que os municípios possam construir conselhos com participação efetiva da sociedade civil para articular e constituir políticas públicas. Estamos percorrendo o Brasil para construir essa agenda”.

Representante do governo do Paraná, a diretora do departamento estadual de Segurança Alimentar e Nutricional, Valéria Nitsche, destacou o valor das trocas de experiências para aprimorar conhecimentos. “É o momento em que a gente repensa nossas ações, programações e faz uma rede onde trabalhamos legislação e outros temas. É importante também porque a oficina é também uma capacitação continuada. A gente sempre volta mais motivado”, disse.

Outro objetivo do encontro foi fortalecer as agendas intersetoriais como a da promoção da alimentação saudável e estratégias locais para redução da insegurança alimentar e nutricional. Membro do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, Irio Conti considera a discussão essencial para construção das políticas públicas.

“Estamos falando de um sistema que ainda não está consolidado. Aqui no Sul, percebemos diferentes estágios nos três Estados dos níveis de participação e envolvimento. Penso que o evento motiva, principalmente, a gestão pública, que é responsável direta pela implantação do Sisan”.

As oficinas regionais também valorizam as iniciativas e estimulam a continuidade das ações nos Estados e municípios. Um exemplo é o município de Joinville (SC). Coordenadora da área de Segurança Alimentar e Nutricional da cidade, Edina Acorde disse que a adesão ao Sisan foi primordial por tratar de uma política pública que integra áreas como saúde e educação. “A experiência na oficina foi muito rica porque pudemos identificar ações que ainda podem ser feitas. Houve espaço para nossas manifestações e para falarmos nossas realidades. Esses encontros também aproximam o MDS dos municípios e promovem o fortalecimento da rede”, afirmou.

As oficinas regionais do Sisan ocorrerão nas cinco regiões do Brasil. A primeira foi em São Paulo (SP). As próximas serão promovidas em Recife (PE), Manaus (AM) e Campo Grande (MS).

Acesse aqui o hotsite das oficinas.

Saiba mais
O Sisan coordena as ações públicas em segurança alimentar e nutricional e articula a integração entre os entes federados e a sociedade civil para garantir o direito à alimentação adequada à população. Os 26 Estados e o Distrito Federal já aderiram ao sistema, além de 221 municípios. A previsão é que 600 municípios façam parte até 2019, conforme o Plano Plurianual (PPA).

Fonte: Ascom/MDS