Site reúne 194 ações voltadas à promoção da produção agroecológica, orgânica e de plantas medicinais.

O governo federal, por meio da Câmara Interministerial de Agroecologia e Produção Orgânica (Ciapo), lançou, nesta quarta-feira (31/05), o Portal da Agroecologia, uma página virtual que reúne informações sobre o tema. O evento ocorreu durante o lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar 2017-2020, no Palácio do Planalto, em Brasília.

O site é uma ferramenta de monitoramento das iniciativas do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo) e de sistematização das ações de governo voltadas à promoção da produção agroecológica, orgânica e de fitoterápicos. Ao todo, são 194 iniciativas, distribuídas em 30 metas e organizadas a partir de seis eixos estratégicos: produção; uso e conservação de recursos naturais; conhecimento; comercialização e consumo; terra e território e sociobiodiversidade.

Segundo a secretária de Extrativismo e Desenvolvimento Rural do Ministério do Meio Ambiente, Juliana Simões, o portal é mais um meio para dar transparência e visibilidade aos resultados da Planapo. “Trata-se de em espaço para divulgar iniciativas exitosas, eventos, práticas e saberes que ajudem na transição agroecológica”, explicou.
GRUPO

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) participa do grupo responsável pela execução do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo), formado por 16 órgãos e entidades do governo federal. São eles: Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), Secretaria de Governo da Presidência da República (Segov/PR), Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ministério da Educação (MEC), Ministério da Saúde (MS), Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade  (ICMBio), Serviço Florestal Brasileiro (SFB) e Fundação Nacional do Índio (Funai).

Fonte: MMA

 

a