Duas das principais culturas do país nas pequenas propriedades e presenças assíduas na mesa dos brasileiros, o arroz e o feijão são também opções em sistemas de produção agroecológicos, a exemplo de outras culturas, em especial, hortaliças.

Em Goiás, a inserção do cereal e da leguminosa em sistemas agroecológicos, ou seja, dentro da perspectiva da diversificação de cultivos, da redução da dependência de insumos externos às propriedades rurais, da manutenção dos recursos naturais e do desenvolvimento local sustentável, já mostra ser favorável para transformar a realidade dos agricultores familiares, mas ainda há muito a ser feito.

Esse trabalho vem sendo aprimorado pela Embrapa, por meio de atividades de pesquisa, a fim de demonstrar alternativas para a inserção do arroz e do feijão nos sistemas agroecológicos. O foco do trabalho no momento se concentra, principalmente, em corredores agroecológicos e técnicas para uso de fertilizantes orgânicos. No entanto, o melhoramento de feijão nesses sistemas e a busca de materiais crioulos são trabalhos com grande potencial de impacto nos próximos anos, além do controle biológico de doenças do arroz.

Os corredores agroecológicos são uma estratégia de produção que combina cultivos alimentares intercalados e alternados com adubos verdes e plantas de cobertura do solo, dentre outros tipos de espécies vegetais. No caso da Embrapa em Goiás, o trabalho é feito com o estabelecimento de parcelas de arroz, feijão, crotalária e guandu. Como se trata de uma proposta de agricultura biodiversa, existe ainda a possibilidade de diferentes outras rotações como milho, mandioca, mucuna e milheto, por exemplo.

 

Saiba mais sobre o trabalho da Embrapa Arroz e Feijão clicando aqui.

Fonte: Embrapa Arroz e Feijão